APRESENTAÇÃO DO CANAL

Auriga - O Cocheiro

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016.
A estrela mais brilhante da constelação de Auriga é a famosa estrela Capella, a“alpha Aur.”, a estrela Alpha da Constelação de Auriga. 

Ela possui magnitude visual igual a +0,08 e também pode ser chamada de “Alpha Aurigae”, de “Alhajot” e de “Capella” que provem do latim e significa “cabra”. Capella é uma estrela gigante amarela e é considerada a 6ª estrela mais brilhante de todo o céu profundo.Esta estrela é uma estrela múltipla do tipo binária, isto é, composta de duas estrelas que rotam uma em torno da outra num período de 104 dia. Está a 42,38 anos-luz de distância da Terra, possui cerca de 14 vezes o diâmetro do Sol e sua temperatura é de 5146 ºC;

É um deleite observar a constelação de Auriga, cujo nome em português é "O Cocheiro". Nesta época do ano, temos uma vista fantástica, a olho nu, da estrela Capella, que de tanto cintilar, parece estar querendo nos chamar a atenção.

Além disto, diversos outros objetos interessantes do céu profundo podem ser observados, principalmente com o auxílio de equipamentos específicos, pois o equador galáctico, que é o plano médio da nossa galáxia, a Via Láctea, cruza a constelação, de um extremo a outro, e por esta razão, ao observá-la, pode-se encontrar vários aglomerados globulares e uma grande quantidade de belíssimas estrelas duplas.
Mas afinal....Como encontrar O Cocheiro no Céu?

Auriga é uma grande constelação boreal, pois está localizada
 no hemisfério norte celeste. Ela pode ser observada quando o observador estiver localizado em cidades do hemisfério norte do nosso globo terrestre; e pode ser visualizada em sua totalidade, em noites de inverno, desde a latitude 0º Norte até 90º Norte. 

Auriga pode ser observada no zênite quando o observador estiver localizado em cidades próximas à latitude 42º Norte.

Já no hemisfério sul, a observação de Auriga fica um pouco limitada devido a ser uma constelação do hemisfério norte, podendo ser apenas observada de algumas cidades principalmente no início do verão austral. 

Torna-se muito mais fácil localizar esta constelação quando o observador estiver localizado em cidades mais próximas da linha do Equador; e neste caso, quanto mais ao norte o observador estiver mais alta esta constelação estará no céu; quanto mais ao sul, menores ficam as chances de visualização desta constelação na sua totalidade.

Auriga só é visível completamente no céu do hemisfério sul em regiões localizadas entre as latitudes 0º Sul e 34º Sul. 

As cidades localizadas nas proximidades da latitude 34º Sul e limitadas a ela, visualizam esta constelação muito próxima do horizonte. 

A visualização desta constelação fica parcialmente comprometida em regiões localizadas entre as latitudes 34º Sul e 62º Sul, pois só é possível localizar parte desta constelação. 

Já, um observador que esteja localizado em cidades localizadas entre as latitudes 62º Sul e 90º Sul, jamais consegue ver Auriga no céu, pois ela estará sempre escondida abaixo do horizonte do observador.

A localização da constelação de Auriga fica facilitada se primeiro localizamos no céu a famosa constelação de Orion; e a partir daí o Touro estará à sua direita (Oeste); e mais alta no céu estará a estrela Capella que é a estrela Alpha da constelação de Auriga. Em cidades que possuam muita poluição luminosa a localização de Auriga fica totalmente comprometida, pois o ideal seria observá-la em áreas sem nenhuma luz, ou seja, sem poluição luminosa.

Outras Curiosidades:

  1. A segunda estrela mais brilhante da constelação de Auriga é a estrela “Beta Aur.”, pois possui magnitude visual igual a 1,90. É uma binária eclipsante com um período de 3,96 dias. Pode também ser chamada de “Beta Aurigae” e de “Menkalinan” que provém do árabe “ mankib dhi al-’inãn” que significa o “ombro do cocheiro”.
  2. Muitas obras científicas consideram a existência de uma estrela Gama na constelação de Auriga e a batizam de “Gama Aur.”, de “Gama Aurigae” e de “El Nath”. Mas, cabe destacar que esta estrela não existe nesta constelação e sim pertence a constelação de Taurus (Touro) e lá é conhecida como “Beta Tau.”.
  3. A estrela “Epsilon Aur.” é uma estrela supergigante amarela, que possui 2,99 de magnitude visual e que pode também ser chamada de “Epsilon Aur.”, de “Epsilon Aurigae” e de “Almaaz”. É uma notável binária eclipsante com um período de 27,1 anos. A maior, em tamanho, de qualquer estrela semelhante conhecida. 
  4. A estrela “Zeta Aur.” possui 3,75 de magnitude visual e pode também ser chamada de “Zeta Aur.”, de “Zeta Aurigae” e de “Hoedus I”. É outra estrela binária eclipsante, composta de duas estrelas que rotam uma em torno da outra, num período de 2 2/3 anos.
  5. A constelação Auriga é uma das constelações de origem grega listadas pelo astrônomo egípcio Claudius Ptolemaeus, popularmente conhecido por Ptolomeu, em uma de suas obras escritas em grego “O Almagesto”, “He Mígale Sintaxis” que significa “O grande Tratado”.
  6. Ao observar a constelação de Auriga, podemos nela localizar alguns objetos interessantes, tais como:

Aglomerados Abertos:
  • M36 ou NGC 1960 - popularmente chamado de “Pinwheel Cluster”, que significa “Aglomerado Cata-vento”.
  • M37 ou NGC 2099 - é considerado o melhor aglomerado aberto da constelação de Auriga para se observar a olho nú, e é popularmente chamado de “Auriga Salt-and-Pepper”, que significa “Sal e Pimenta de Auriga”.
  • M38 ou NGC 1912 
Nebulosas Planetárias:
  • CI 2149 (PK 166 + 10,1)
  • PK 173-5,1
Nebulosas Difusas:
  • IC 405 - Também conhecida como “Flaming Star Nebula”, que significa “Nebulosa Estrela Flamejante”.
  • IC 410
  • IC 439
  • NGC 1985

Nesta região do céu ocorrem as chuvas de meteoros:
  • Alpha Aurigids (AUR) - é uma chuva de meteoros do tipo radiante, com velocidade de 66 Km/segundo, que aparece nesta região do céu entre os dias 25/08 e 05/09. Sua declinação para o ano 2.000 é de 42º 0’ e sua ascensão reta para o ano 2.000 é de 5h36min. Para saber qual horário de sua ocorrência nesta região do céu e nestes dias consulte seu anuário. 
  • Delta Aurigids (DAU) - é uma chuva de meteoros do tipo radiante, que aparece na região da constelação de Perseus, entre os dias 05/09 e 10/10 e possui velocidade de 64 Km/segundo. Sua declinação para o ano 2.000 é de 47º 0’ e sua ascensão reta para o ano 2.000 é de 4h00min. Para saber qual horário de sua ocorrência nesta região do céu e nestes dias consulte seu anuário. 
Asterismos:
  • “Kids” – É um asterismo com a forma de dois segmentos de reta inclinados e interligados entre si, imaginário, composto por algumas estrelas da constelação de Auriga: Almazz (epsilon Aur.), Hoedus I (zeta Aur.) e Hoedus II (eta Aur.). 

Comentários:

Postar um comentário

Olá! Fique a vontade para comentar!

 
As Maravilhas do Céu Estrelado © 2005 - todos os direitos reservados para o autor: Engº João Batista Salgado Loureiro | Template By Mundo B |