APRESENTAÇÃO DO CANAL

Cientistas descobrem uma nova e misteriosa classe de conjunto de estrelas! Um novo tipo de Aglomerado Globular Estelar!

quarta-feira, 20 de maio de 2015.
As observações realizadas com o VLT, "Very Large Telescope" do ESO, localizado no Chile, levaram os astrônomos a descobrirem uma nova classe "escura" de aglomerados globulares estelares ao redor da galáxia gigante Centaurus A

Esses objetos misteriosos são semelhantes aos aglomerados normais, mas contém muito mais massa e podem tanto abrigar montantes imprevistos de matéria escura ou conter buracos negros maciços.

Matt Taylor, um estudante de doutorado da Pontifícia Universidade Católica do Chile, em Santiago-Chile, é o principal autor do novo estudo. Ele definiu: "Os enxames globulares e suas estrelas constituintes são as chaves para a compreensão da formação e evolução das galáxias. Durante décadas, os astrônomos pensavam que todas as estrelas que formavam um determinado aglomerado globular compartilhavam as mesmas idades e composições químicas, mas agora sabemos que elas são criaturas mais estranhas e mais complicadas."

Suspeita-se que Centaurus A abrigue um total de aglomerados tão grande quanto a 2.000 aglomerados globulares. Muitos destes, enxames globulares, são mais brilhantes e mais maciços do que os 150 que orbitam a Via Láctea.

Matt Taylor e sua equipe já realizaram estudos mais detalhados em uma amostra de 125 aglomerados globulares do total até agora. Para isto eles utilizaram um instrumento chamado FLAMES (Fibre Large Array Multi Element Spectrograph), do VLT* (Very Large Telescope), localizado no Observatório Paranal no norte do Chile.

Eles usaram estas observações para deduzir a massa dos aglomerados e compararam este resultado com a forma de como cada um dos agrupamentos brilha.

Para a maioria dos aglomerados da nova pesquisa, os mais brilhantes tinham mais massa na forma que se esperava, ou seja, se um aglomerado contém mais estrelas, ele tem maior brilho e mais massa. 

Mas para outros dos enxames globulares algo estranho apareceu: eles eram muitas vezes mais maciços do que pareciam. 

E o que mais espantou a equipe foi que, quanto mais maciços eram estes agrupamentos incomuns, a maior fração de seu material era escuro.

"Algo nestes aglomerados estava escuro, escondido e maciço. Mas o que?"

Havia várias possibilidades:

  • Talvez os "cachos" escuros contêm buracos negros, ou outros restos estelares escuros em seus núcleos? Isso pode ser um fator que explica uma parte da massa oculta, mas a equipe concluiu que não pode explicar a história toda. 
  • E sobre a matéria escura? Aglomerados globulares são normalmente considerados quase desprovidos desta substância misteriosa, mas talvez, por alguma razão desconhecida, alguns destes,  mantiveram significativas quantidades de matéria escura em seus núcleos. Isso explicaria as observações, mas não se encaixa na teoria convencional.

O co-autor Thomas Puzia acrescentou: "Nossa descoberta de aglomerados de estrelas com massas inesperadamente elevadas para a quantidade de estrelas presentes, contêm indícios de que pode haver várias famílias de aglomerados globulares, com diferentes histórias de formação."

Estes objetos permanecem um mistério!

A equipe também está envolvida em uma pesquisa mais ampla de outros aglomerados globulares em outras galáxias, e há alguns indícios intrigantes que tais agrupamentos escuros também podem ser encontrados em outros lugares.

Matt Taylor resume a situação: "Temos tropeçado em uma nova e misteriosa classe de conjunto de estrelas! Isso mostra que ainda temos muito a aprender sobre todos os aspectos da formação de aglomerados globulares. É um resultado importante, e agora precisamos encontrar outros exemplos de aglomerados escuros em torno de outras galáxias."

Esta pesquisa foi apresentada em um artigo intitulado “Observational evidence for a dark side to NGC 5128’s globular cluster system”, por M. Taylor et al., para aparecer no "Astrophysical Journal".

Para entender melhor:

Aglomerados Globulares Estelares são enormes bolas de milhares de estrelas que orbitam a maioria das galáxias. Eles estão entre os mais antigos sistemas estelares conhecidos no universo e têm sobrevivido por quase toda a extensão do crescimento e evolução das galáxias.

A galáxia elíptica Centaurus A (também conhecida como NGC 5128) é a galáxia gigante mais próxima da Via Láctea, possui magnitude visual de 7,58, e está localizada a 14 milhões de anos-luz da Terra, na constelação do Centauro (Centaurus). 

*O VLT é o instrumento óptico mais avançado do mundo, é composto por quatro telescópios com espelhos principais de 8,2 m de diâmetro e 1,8 m de diâmetro de quatro telescópios auxiliares móveis.

O ESO é uma organização intergovernamental de astronomia, na Europa, e possui o  observatório terrestre astronômico mais produtivo do mundo. É apoiado por 16 países: Áustria, Bélgica, Brasil, República Checa, Dinamarca, França, Finlândia, Alemanha, Itália, Países Baixos, Polônia, Portugal, Espanha, Suécia, Suíça e Reino Unido, juntamente com o Estado de acolhimento, o Chile.

Saiba mais sobre Astronomia em nossos Canais:

Comentários:

Postar um comentário

Olá! Fique a vontade para comentar!

 
As Maravilhas do Céu Estrelado © 2005 - todos os direitos reservados para o autor: Engº João Batista Salgado Loureiro | Template By Mundo B |