APRESENTAÇÃO DO CANAL

M83 - O Catavento do Sul: Um alvo fotogênico e favorito para inúmeros astrônomos amadores! (vídeo)

terça-feira, 14 de abril de 2015.

Toda a beleza da galáxia espiral M83 é revelada, em toda a sua glória, neste mosaico de  imagens do Telescópio Espacial Hubble.

Astrônomos, usando o Telescópio Espacial Hubble da NASA, "focaram" na galáxia espiral barrada M83, também conhecida como o "Catavento do Sul", localizada a 15 milhões de anos-luz de distância na região da Constelação de Hidra (Hydra).

Ao reunir uma série de imagens do Hubble, os cientistas fizeram um mosaico "Icônico" desta galáxia, onde mostra bilhões de estrelas em várias fases da vida, distribuídas por 50.000 anos-luz.

Entenda melhor M83:

A Galáxia M83 foi descoberta por Abbe Nicholas Louis de la Caille, no Cabo da Boa Esperança, em 23 de Fevereiro de 1.752.

É considerada uma das mais distintas galáxias espirais do céu e uma das galáxias localizadas mais ao sul que pertence ao catálogo Messier. Charles Messier a catalogou em 17 de Fevereiro de 1.781. 

Popularmente chamada de “Southern Pinwheel” que significa “Catavento do Sul”, foi a primeira galáxia a ser descoberta depois do grupo local, e a terceira de todas as galáxias, depois de M31 e de M32. 

M83 está retrocedendo a uma velocidade de 337 km/seg, ou seja, está se afastando da Terra.

A fotografia do Hubble captou milhares de aglomerados de estrelas, centenas de milhares de estrelas individuais, e "fantasmas" de estrelas mortas chamados remanescentes de supernova. Este panorama galáctico revelou uma tapeçaria do drama de nascimento e morte estelares, distribuídos por 50.000 anos-luz.

"Bolhas" interestelares produzidas por cerca de 300 supernovas de estrelas massivas foram encontradas nesta imagem do Hubble. Ao estudar esses remanescentes de supernovas, os astrônomos podem compreender melhor a natureza das estrelas que explodiram e os dispersos elementos químicos nucleares processados ​​de volta para a galáxia, contribuindo para a próxima geração de novas estrelas.

M83 é uma das obras de arte do espaço profundo do sul, mas infelizmente é muito difícil de se observar por observadores do norte. 

Os observadores do sul devem encontrar M83 facilmente se localizarem primeiro a constelação do Centauro (Centaurus) e depois procurarem M83 ao norte de Centaurus exatamente próximo a divisa entre Hidra e esta constelação.

Assista ao Vídeo de aproximação:



Créditos: NASA, ESA, and the Hubble Heritage Team (STScI/AURA)

Comentários:

Postar um comentário

Olá! Fique a vontade para comentar!

 
As Maravilhas do Céu Estrelado © 2005 - todos os direitos reservados para o autor: Engº João Batista Salgado Loureiro | Template By Mundo B |