APRESENTAÇÃO DO CANAL

O Ano 2015 foi declarado o Ano Internacional da Luz!

terça-feira, 27 de janeiro de 2015.
O ano de 2015 foi declarado o Ano Internacional da Luz (IYL) pela Organização das Nações Unidas. Com isto, todas as organizações, instituições e indivíduos envolvidos na ciência e aplicações de luz estarão unidos para esta celebração para ajudar a espalhar a palavra sobre "As Maravilhas da Luz".

De muitas maneiras, a astronomia usa a ciência da luz, principalmente, através da construção de telescópios capazes de detectar a luz em suas diversas formas, desde as ondas de rádio em uma extremidade do "espectro eletromagnético" a raios gama, por outro, e os cientistas podem obter uma melhor compreensão dos processos de "funcionamento" do Universo.

O Observatório de Raios-X Chandra da NASA explora o universo em raios-X, uma forma de alta energia da luz. 

Ao estudar os dados de raios-X e compará-los com as observações de outros tipos de luz, os cientistas puderam desenvolver uma melhor compreensão dos objetos celestes, tais como, estrelas e galáxias que geram temperaturas de milhões de graus e produzem raios-X.

Para reconhecer o início desta linda comemoração, o centro de raios-X Chandra está lançando um conjunto de imagens que combinam dados de telescópios sintonizados com diferentes comprimentos de onda de luz. 

A partir de uma galáxia distante até o campo de destroços relativamente perto de uma estrela que explodiu, estas imagens demonstram as inúmeras maneiras que a informação sobre o Universo nos é comunicada através da luz.

As imagens, acima, no sentido horário horário, são: 

Messier 51 (M51): Esta galáxia, apelidada de "A Galáxia do Redemoinho" (em inglês "Whirlpool"), é uma galáxia espiral, como a nossa Via Láctea, localizada a cerca de 30 milhões de anos-luz da Terra. Esta imagem composta, combina dados coletados pelo Chandra em comprimentos de onda de raios-X (em roxo), ultravioleta pelo "Galaxy Evolution Explorer" (GALEX), (em azul); luz visível pelo Hubble (em verde), e infravermelho por Spitzer (em vermelho).

Quer saber mais sobre "A Galáxia do Redemoinho"?Acesse:


SNR 0519-69,0Quando uma estrela maciça explodiu na Grande Nuvem de Magalhães, uma galáxia satélite da Via Láctea, deixou para trás um escudo de expansão de detritos chamado SNR 0519-69,0. Aqui, o gás de multi milhão de graus é visto em raios-X do Chandra (em azul). Já, a borda externa da explosão (em vermelho) e as estrelas do campo de visão são vistas em luz visível do Hubble.

Quer saber mais sobre "A Grande Nuvem de Magalhães"? Acesse:

MSH 11-62: Quando os raios X, mostrado em azul, do Chandra e do "XMM-Newton", foram unidos nesta imagem com os dados de rádio "Australia Telescope Compact" (em rosa), e dados de luz visível "Digitized Sky Survey" (DSS, amarelo), uma linda e nova visão da região emergiu.


RCW 86: Este remanescente de supernova é composto dos restos de uma estrela que explodiu, e que tal explosão, pode ter sido testemunhada por astrônomos chineses há quase 2.000 anos atrás. Modernos telescópios têm a vantagem de observar esse objeto em luz que é completamente invisível para o olho humano, invisível a olho nu. Esta imagem combina raios-X do Chandra (rosa e azul), juntamente com a emissão visível a partir de átomos de hidrogênio na borda do remanescente, que pôde observado com o telescópio 0,9-m Curtis Schmidt no Observatório inter-americano de Cerro Tololo (amarelo).

Cygnus A: Esta galáxia, a uma distância de cerca de 700 milhões de anos luz,  na Constelação do Cisne, contém uma bolha gigante preenchida com raios-X emissores de gás quente, que foram detectados pelo Chandra (azul). Os dados de rádio da "NSF Very Large Array"(vermelho) revelam "pontos quentes", a cerca de 300.000 anos-luz do centro da galáxia, de onde emanam poderosos jatos do supermassivo buraco negro da galáxia. Dados de luz visível (amarelo) do Hubble e do DSS completam belíssima vista.

Quer saber mais sobre "A Constelação do Cisne"? Acesse:
>A Constelação do Cisne
>Mitologia - O Cisne

Além dessas imagens recém-lançadas, o Centro de Raios-X Chandra criou um novo repositório de imagens, online, chamado "Light: Beyond the Bulb" para  o Ano Internacional da Luz (IYL). Este projeto coloca objetos astronômicos em contexto com a luz em outros campos da ciência e da investigação.

> Marshall Space Flight Center da NASA em Huntsville, Alabama, gerencia o programa "Chandra for Science Mission Directorate" da NASA em Washington. 

> O Observatório Astrofísico Smithsonian, em Cambridge, Massachusetts, controla as operações científicas e os voos de Chandra.

> Para comemorar o Ano Internacional da Luz, cinco imagens do Chandra foram liberadas: (M51, SNR E0519-69.0, MSH 11-62, Cygnus A, e RCW 86). > Ver a imagem ampliada


Crédito de imagem: 
NASA / CXC / SAO

Comentários:

Postar um comentário

Olá! Fique a vontade para comentar!

 
As Maravilhas do Céu Estrelado © 2005 - todos os direitos reservados para o autor: Engº João Batista Salgado Loureiro | Template By Mundo B |