APRESENTAÇÃO DO CANAL

Cientistas encontraram o 1º Exoplaneta do tamanho da Terra! E está na zona habitável de sua estrela! Extraterrestres?

sexta-feira, 18 de abril de 2014.
O Diagrama compara os planetas do nosso Sistema Solar
interior com o Sistema de Kepler-186
Astrônomos descobriram o primeiro planeta do tamanho do planeta Terra, que orbita uma estrela em sua "zona habitável", que é o nome dado a uma faixa de distância entre um planeta e uma estrela onde a água líquida pode se reunir sobre a superfície de um planeta em órbita, e além disto sustentar a vida. E para a sua descoberta os astrônomos se utilizaram do telescópio espacial Kepler, da NASA.


Kepler-186f é um exoplaneta que está orbitando a anã vermelha Kepler-186, que está a cerca de 492 anos-luz da Terra, na região da constelação do Cisne (Cygnus). É o primeiro planeta com o tamanho similar ao da Terra a ser descoberto na zona habitável de outra estrela. É mais uma reminiscência da Terra!

O planeta Kepler-186f está orbitando uma estrela com 4% a luminosidade do nosso Sol, uma vez a cada 129,9 dias, e recebe um terço da energia de sua estrela, quando comparado com a energia que a Terra recebe do nosso Sol, colocando-o mais próximo da borda externa da zona habitável. 

O sistema Kepler-186 também é o lar de quatro outros planetas que orbitam sua companheira, uma estrela que tem a metade do tamanho e da massa do nosso Sol.

Dados da estrela Kepler-186:
Right ascension(α)19h 54m 36.651s
Declination(δ)+43° 57′ 18.06″
Apparent magnitude(mV)14.625
Distance492 ly
(151 pc)
Mass(m)0.48 M
Radius(r)0.47 R
Temperature(T)3788 K

Embora o tamanho de Kepler-186f seja conhecido, a sua massa e composição ainda não o são. Uma pesquisa anterior, no entanto, sugere que planetas do tamanho de Kepler-186f provavelmente sejam rochosos.

O brilho de sua estrela ao meio-dia, na superfície de Kepler-186f, é tão brilhante quanto o nosso Sol, cerca de uma hora antes de anoitecer.

A estrela do Sistema Kepler-186 é classificada como uma anã M, ou anã vermelha, uma classe de estrelas que compõe 70 por cento das estrelas presentes na nossa galáxia, a Via Láctea.

"A estrelas anãs M são as estrelas mais numerosas", disse Quintana. Segundo ele, "Os primeiros sinais de outras formas de vida na nossa galáxia podem muito bem vir de planetas que orbitam uma anã M".

"A descoberta de Kepler-186f é um passo significativo no sentido de encontrar mundos como o nosso planeta Terra", disse Paul Hertz, diretor da Divisão de Astrofísica da NASA, na sede da agência em Washington. 

Elisa Quintana, cientista de pesquisa no Instituto SETI , da NASA, em Moffett Field, na Califórnia, é a principal autora do artigo que foi publicado hoje na revista Science. "Encontrar um planeta similar à Terra em tamanho, na zona habitável, é um grande passo."

"Estar na zona habitável não significa que sabemos que este planeta é habitável. A temperatura no planeta é fortemente dependente do tipo de atmosfera que o planeta tem", disse Thomas Barclay, pesquisador do Instituto de Pesquisa Ambiental de Ames, e co-autor da pesquisa. "Kepler-186f pode ser pensado como um primo da Terra, em vez de um gêmeo-Terra. Ele tem muitas propriedades que se assemelham a Terra."

Seus quatro planetas companheiros, Kepler-186b, Kepler-186c, Kepler-186d, e Kepler-186e,giram em torno de seu sol a cada 4, 7, 13 e 22 dias, respectivamente,o que faz com que sejam muito quentes demais para sustentar a vida como a conhecemos. Todos estes quatro planetas interiores medem menos de 1,5 vezes o tamanho da Terra.

Outros planetas já foram encontrados na zona habitável de sua estrelas, mas todos eles são, pelo menos, 40 por cento maior em tamanho do que a Terra. E determinar suas composições continua sendo um desafio. 

Os próximos passos na busca de vida distante incluir olhar para os verdadeiros gêmeos terrestres, planetas do tamanho da Terra que estejam orbitando dentro da zona habitável de uma estrela parecida com o nosso Sol, e medir as suas composições químicas. 

O telescópio espacial Kepler, tem simultaneamente e continuamente medido o brilho de mais de 150.000 estrelas, e é a primeira missão da NASA capaz de detectar planetas do tamanho da Terra em torno de estrelas como o nosso Sol.

O Instituto SETI é uma organização privada, sem fins lucrativos dedicada à investigação científica, à educação e sensibilização do público. A missão do Instituto SETI é explorar, entender e explicar a origem, a natureza e prevalência da vida no universo.

Ames é responsável pelo desenvolvimento do sistema de Kepler , missão de operações e análise de dados científicos. 

O Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, em Pasadena, Califórnia, gerencia o desenvolvimento da missão.

Crédito da Imagem: NASA Ames/SETI Institute/JPL-Caltech

Comentários:

Postar um comentário

Olá! Fique a vontade para comentar!

 
As Maravilhas do Céu Estrelado © 2005 - todos os direitos reservados para o autor: Engº João Batista Salgado Loureiro | Template By Mundo B |