APRESENTAÇÃO DO CANAL

Voyager - The Final Frontier! Voyager 1 tem ido corajosamente onde nenhuma outra Sonda tinha ido antes!

quinta-feira, 12 de setembro de 2013.

Nave espacial da NASA embarca em jornada histórica para o espaço interestelar!

A sonda Voyager 1 da NASA oficialmente é o primeiro objeto feito pelo homem a se aventurar no espaço interestelar. A sonda de 36 anos de idade, está a cerca de 19 bilhões de quilômetros (12 bilhões de milhas) do nosso Sol.

Novos e inesperados dados indicam que Voyager 1 viajou por cerca de um ano em um meio repleto de plasma ou gás ionizado, presente no espaço entre as estrelas.

Voyager está em uma região de transição imediatamente fora da bolha de influência de nosso Sol, onde alguns efeitos de nossa estrela ainda são evidentes. 

Um relatório sobre a análise destes novos dados foi publicado na edição desta quinta-feira da revista Science.

"Agora que temos novos dados fundamentais, acreditamos que este é o salto histórico da humanidade para o espaço interestelar", disse Ed Stone, cientista do projeto Voyager baseado no Instituto de Tecnologia da Califórnia, em Pasadena. Segundo ele, a equipe da Voyager precisa de tempo para analisar essas observações e dar sentido a elas.

Em 2004, a Voyager 1 primeiro detectou o aumento da pressão do espaço interestelar na heliosfera, a bolha de partículas carregadas em torno do Sol, que vai muito além dos planetas exteriores.

Os cientistas em seguida incrementaram sua busca por evidências da confirmação da chegada dela no meio interestelar. O que se sabe é que a análise e a interpretação destes tipos de dados pode levar meses ou anos.

A Voyager 1 não tem um sensor de plasma, e é por isto que os cientistas precisavam de uma maneira diferente para medir o ambiente de plasma ao redor da sonda, para fazer uma determinação definitiva de sua localização. 

A ejeção de massa coronal, ou seja, uma explosão massiva na Coroa Solar, com o surgimento de fortes ventos solares, causados pelo aumento dos campos magnéticos nesta região do Sol, que aconteceu em março de 2012, forneceu aos cientistas os dados que eles precisavam.

Quando este presente inesperado do Sol finalmente chegou no local que estava a Voyager 1, 13 meses depois, em abril de 2013, o plasma ao redor da nave espacial começou a vibrar como uma corda de violino. 

E em 9 de abril, o instrumento de ondas de plasma da Voyager 1 detectou o "movimento". 

As oscilações de campo ajudaram os cientistas a determinarem a densidade do plasma.

Estas particulares oscilações significaram que a nave espacial foi banhada por um jato de plasma, mais de 40 vezes mais denso do que aquele encontrado na camada exterior da heliosfera. Densidade dessa espécie é de se esperar no espaço interestelar.

A equipe científica revisou todos os seus dados e encontraram uma onda de plasma mais fraca, antes das atuais oscilações, por volta de outubro e novembro de 2012. 

Através da extrapolação das densidades do plasma, nas medições de ambos os eventos, a equipe determinou que a Voyager 1 entrou pela primeira vez no espaço interestelar em agosto de 2012.

"Nós literalmente pulamos da cadeira quando vimos essas oscilações em nossos dados - eles nos mostraram que a nave estava em uma região totalmente nova, comparável ao que era esperado no espaço interestelar, e totalmente diferente do que na bolha solar", Gurnett disse. "É claro que tinha passado através da heliopausa, que é o limite entre o plasma solar e o plasma interestelar."

Assista ao vídeo de boas vindas a Voyager ao Espaço Interestelar! Até o Pessoal da Série Star Trek deu seu depoimento! Carl Sagan ficaria orgulhoso!




"Esperamos que a Voyager continue a enviar dados até, pelo menos 2020. Nós estamos ansiosos para ver o que os instrumentos da Voyager vão nos mostrar a respeito do espaço profundo ". Disse Suzanne Dodd, diretora do projeto Voyager, com base no Jet Propulsion Laboratory, da NASA, em Pasadena, Califórnia 

A Voyager 1 e sua irmã gêmea, a Voyager 2, foram lançadas com 16 dias de intervalo uma da outra, em 1977. Ambas as sondas passaram por Júpiter e Saturno.

Já, a Voyager 2 também passou por Urano e Netuno. Foi lançada antes da Voyager 1, e é a maior nave espacial em operação contínua. Está a cerca de 15 bilhões de quilômetros (9,5 bilhões de milhas) de distância do nosso Sol.

Os controladores da missão Voyager ainda recebem dados da Voyager 1 e da Voyager 2 a cada dia, embora os sinais emitidos sejam atualmente muito fracos, cerca de 23 watts - o poder de uma lâmpada de geladeira. 

No momento em que os sinais chegam a Terra, eles são uma fração de um (billion-billionth) bilhão-bilionésimo de um watt. 

Os dados dos instrumentos da Voyager 1 são transmitidos para a Terra, normalmente, em 160 bits por segundo, e capturados em antenas com 34 e 70 metros de diâmetro, pertencentes às estações "Deep Space Network", da NASA . 

Viajando à velocidade da luz, um sinal enviado a partir de uma das Voyagers, leva cerca de 17 horas para chegar à Terra. Depois que os dados são transmitidos para o JPL e processados ​​pelas equipes de ciências, estes dados são disponibilizados publicamente.

"A Voyager chegou onde nenhuma sonda tinha ido antes, marcando um dos avanços tecnológicos mais significativos nos anais da história da ciência, e adicionando um novo capítulo nos sonhos e esforços científicos humanos", disse John Grunsfeld, administrador associado da NASA para ciência em Washington. "Talvez alguns futuros exploradores do espaço profundo, encontrem com a Voyager, o nosso primeiro enviado interestelar, e os faça refletirem sobre como esta intrépida espaçonave ajudou a consolidar a sua viagem."

Os cientistas não sabem quando a Voyager 1 vai chegar à parte intacta do espaço interestelar, onde não há influência do nosso Sol. 

Eles também não estão certos de quando a Voyager 2 irá cruzar a fronteira do espaço interestelar, mas eles acreditam que isto não está muito longe.

O custo das missões Voyager 1 e Voyager 2, incluindo o lançamento, operações de controle da missão e as baterias nucleares da nave, que foram fornecidas pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos,  é de cerca de 988 milhões de dólares até setembro.

2 Comentários:

As Maravilhas do Céu Estrelado disse...

Heliopausa é uma região localizada ao redor do Sistema Solar onde o vento solar é parado pelo meio interestelar pois a pressão exercida pelo vento solar não é mais intensa o suficiente para repelir o vento interestelar. É geralmente considerada a fronteira mais externa do sistema solar. Estima-se que este ponto encontre-se entre 110 e 160 UA do Sol.

As Maravilhas do Céu Estrelado disse...

"Espaço: a fronteira final. Estas são as viagens da sonda estelar Voyager 1. Em sua missão de ___ anos... para explorar novos mundos... para pesquisar novas vidas... novas civilizações... audaciosamente indo onde nenhum homem jamais esteve."

Postar um comentário

Olá! Fique a vontade para comentar!

 
As Maravilhas do Céu Estrelado © 2005 - todos os direitos reservados para o autor: Engº João Batista Salgado Loureiro | Template By Mundo B |