APRESENTAÇÃO DO CANAL

Cisne–Mitologia

quarta-feira, 11 de setembro de 2013.

Há dois mitos diferentes associados com a constelação do Cisne:

1) Faetonte (ou Phaethon) era o filho da oceânide Clímene, cujo marido era o rei etíope Mérops. Um dia a mãe de Phaethon contou a ele que Mérops não era seu pai e que seu verdadeiro pai era o deus Apollo, também conhecido como o deus do Sol (algumas crenças apontam ser Hélio - o Sol - o pai de Phaethon). 

Quando Phaethon gabou-se para seus amigos que seu verdadeiro pai era um poderoso deus, seus amigos caçoaram dele e disseram que ele não estava dizendo a verdade.

Magoado, Phaethon novamente foi perguntar a sua mãe se o que ela o havia dito era verdade, e sua mãe respondeu: “Vá até o deus do Sol e pergunte a ele você mesmo já que você duvida de minha palavra.”

O deus do Sol ficou encantado quando viu seu filho e prometeu a Phaethon que lhe daria alguma coisa para que pudesse utilizar como prova de sua ascendência divina.

Phaethon pensou por um instante e finalmente disse ao deus que ele queria sua permissão para dirigir a carruagem do Sol para cruzar o céu durante um dia inteiro. 

Apollo ficou chocado com o pedido de seu filho e imediatamente tentou convencê-lo que aquilo era uma coisa muito perigosa de se fazer e que iria reconsiderar seu pedido. Mas, Phaethon não voltou atrás e mesmo sem o consentimento de seu pai, colocou seu plano em ação.

Phaethon começou a pilotar a carruagem pelo céu, mas como era muito inexperiente em dirigir carruagens não conseguiu guiar os cavalos corretamente. 

De repente, os cavalos se assustaram com os signos do zodíaco e saíram em disparada para o alto no céu, voaram para bem alto e muito longe, na ansiedade de ressurgirem no alto do horizonte oriental e alcançar o topo da enorme cúpula do céu.
Carruagem do Sol sendo conduzida por Phaeton
Neste percurso, eles se aproximaram demasiadamente do céu e inevitavelmente chamuscaram uma enorme faixa do céu, faixa esta que se tornou a famosa Via Láctea.

Entretanto, a superfície da Terra tornou-se muito fria por causa da carruagem do Sol estar tão alta no céu e tão distante da Terra que não mais conseguia aquecê-la. 

Em seguida os cavalos mergulharam em direção a Terra para tentar envolvê-la e tornar a aquecê-la e a iluminar.

E neste movimento roçaram e dessecaram por completo a zona equatorial da Terra até deixar todos os habitantes daquela região com a pele tostada. 

Em seguida, cruzaram a África e ressecaram a Terra novamente, criando um imenso deserto, esgotando os rios, lagos e as poças de água.

Zeus, deus de todos os deuses, desorientado com o que estava presenciando, decidiu que era tempo de parar aquele moço imprudente e evitar que houvesse mais destruição.

E, assim o poderoso deus fulminou Phaethon com um raio, matando o garoto instantaneamente, e conduziu o seu corpo em combustão rolando para baixo até cair no rio Erídano. Depois, o deus conduziu em segurança os cavalos até os seus estábulos.

Entretanto, Phaethon tinha um amigo muito devotado chamado Cycnus, o rei músico dos Ligurians. E, ao ficar sabendo do destino de seu amigo, Cycnus mergulhou no rio Erídanus e nadou para todas as direções, mergulhando repetidas vezes para tentar encontrar o corpo de Phaethon. 

Seus movimentos por meio da água o induziram a experimentar como era o movimento na água de quando um cisne procura por alimento.

Apollo, vendo o esforço de Cycnus, teve piedade dele e imediatamente o retirou do rio e o colocou na constelação Cygnus, o cisne, pelo resto da eternidade.

OUTRA VERSÃO:

2) Segundo a mitologia grega, Zeus amou de diversas formas, amou tanto homens, quanto mulheres e até animais. Nesta passagem, ele se apaixonou pela rainha Leda de Esparta, esposa do Tíndaro de Esparta e filha de Thestius (Téstio), rei da Etólia, e de Eurítemis.

Leda de Leonardo da Vinci
Zeus encantando com a beleza de Leda resolveu conhecê-la, não com a aparência de um deus mas sim disfarçado como um belo cisne. 

E como uma majestosa criatura apressou-se em direção a Terra para encontrar sua desejada amada. 

Leda notou o lindo cisne que estava chegando e brincou com ele, mesmo sem saber sua verdadeira identidade. 

Ao entardecer Zeus, ainda disfarçado, seguiu sua amada Leda, cortejando-a. Neste passeio, Leda engravidou do lindo cisne no mesmo dia em que havia engravidado de seu marido, e carregou de volta para casa dois ovos em seu ventre.

Depois de algum tempo, um ovo chocou Pollux e Helen, imortais de ascendência de Zeus, o outro ovo chocou Castor e Clytemnestra, mortais de ascendência de Tíndaro, seu marido.

Muitos contam que em uma noite estrelada o grande cisne branco voou para sempre ao longo da Via Láctea e até os dias de hoje é visto na constelação Cygnus, o cisne.


Créditos:
Primeira Imagem: Constelação do Cisne por Johannes Hevelius - astrônomo polonês (1611-1687)

Pintura:
Artista: Leonardo da Vinci
Data: 1510
Local de Criação: Milão, Itália
Estilo: High Renaissance
Gênero: Pintura Mitológica
Técnica: Óleo
Material: Painel
Dimensões: 112 x 86 cm
Galeria: Galleria Borghese, Roma, Itália

Comentários:

Postar um comentário

Olá! Fique a vontade para comentar!

 
As Maravilhas do Céu Estrelado © 2005 - todos os direitos reservados para o autor: Engº João Batista Salgado Loureiro | Template By Mundo B |