APRESENTAÇÃO DO CANAL

As Plêiades - Mitologia e História

segunda-feira, 2 de setembro de 2013.
De acordo com a mitologia grega, Pleione, uma oceânide que era filha dos titãs Oceano e de Tétis 1, e esposa de Atlas, um gigante que foi condenado pelos deuses a carregar por toda a eternidade a abóboda celeste sobre seus ombros, teve sete filhas: Mérope, Alcione, Electra, Celeno, Maia, Taigete e Asterope. 

Diz a lenda, que Pleione e suas filhas quando estavam passeando pela Beócia encontraram por acaso Orion, o caçador. Orion, quando as viu, imediatamente caiu de amor por elas e passou a persegui-las por sete anos. 

Mas, quando elas queixaram-se aos deuses que estavam sendo perseguidas por Orion, os deuses comovidos, colocaram-nas entre as estrelas para protegê-las na cauda do Touro. 

E a partir deste dia as sete irmãs se tornaram as Plêiades, e sua mãe Pleione foi colocada no céu ao lado do grupo em forma de uma estrela, e lá, está zelando por toda a eternidade por suas queridas filhas.

Na antiguidade, a elevação das Plêiades no céu era considerada um sinal para antigos marinheiros de que uma boa estação do ano para a navegação havia começado. 

Eles acreditavam que quando as Plêiades eram avistadas no céu, representava o surgimento de uma deusa que protegia os marinheiros das terríveis tempestades. E é por isto que o céu, em muitas culturas, era considerado um guia espiritual.

As Plêiades são um mapa do cosmos pré-histórico, são conhecidas desde a pré-história, e acredita-se que naquela época faziam parte de muitas culturas ao redor do mundo, já que também acreditavam que havia algum tipo de conexão das Plêiades com as boas estações para a agricultura daquele tempo.
As Plêiades (M45) - Espaço Profundo
Há 17.000 anos atrás, nas latitudes mais altas de nosso planeta, e em consequência da precessão dos equinócios, esta região ficou visível no céu e ficou sem se esconder abaixo do horizonte e por isto teria sido especialmente proeminente no início das estações.

Chegou a ser mencionada por Homero em 750 a.C. em sua Ilíada, e por volta de 720 a.C. em sua Odisséia, e por Hesíodo em seus escritos em 700 a.C.. 

Na Bíblia existem três referências as Plêiades (chamado de "Kiymah"): Job 9:7-9, Job 38:31-33, e Amos 5:8.

Alguns acreditam que já existiam referências às Plêiades no ano 1.000 a.C., mais ou menos na época do reinado do rei Davi e Salomão na antiga Israel; ou até mais cedo, no 13º ou 16º século antes de Cristo, na época de Moisés.

Em outras antigas culturas, cerimônias em honra à morte eram realizadas exatamente no dia em que as Plêiades alcançavam seu ponto mais alto no céu da meia noite (no final do mês de Outubro). 

Já os antigos astecas, acreditavam que as Plêiades estariam situadas no céu à meia noite, no dia em que o mundo chegasse ao seu fim.
As Plêiades - Pintura à óleo
As Plêiades também carregavam o nome de “sete irmãs”, de acordo com a mitologia grega, já que as relacionava com as sete filhas de Atlas com Pleione. 

O nome japonês das Plêiades é “Subaru”, nome que foi utilizado por eles para batizar o famoso carro de mesmo nome. 

Os persas as chamavam de "Parveen/parvin" e de "Soraya", sendo o último nome a forma que outrora a imperatriz era chamada. 

Os catálogos de estrelas babilônicos chamavam-nas de "MUL.MUL", ou "estrela de estrelas", e elas encabeçavam a lista de estrelas da eclíptica, refletindo o fato que elas estavam próximas do ponto do equinócio vernal em torno do século 23 a.C..
Localização das Estrelas do asterismo "Seven Sisters", as Sete
Irmãs, conhecido mundialmente por Plêiades (M45). 
As Plêiades estão sendo veladas por toda a eternidade por 
seus pais Atlas e Pleione. 
Projeção: Starry Night
Efeitos: As Maravilhas Do Céu Estrelado
Na antiga Europa o nome indicava que eles a comparavam com uma “galinha com seus pintinhos”.
As Plêiades também eram conhecidas em sânscrito como “Krittikas”, mas o nome provém do grego "peleiades” que se traduz como "revoada de pombas". 

Já os gregos Eudoxo de Cnido (entre 403 e 350 a.C.) e Arato (cerca de 270 a.C.) listaram as Plêiades em uma constelação própria e única de nome "Os Aglomeradores".

Em 1940, um mapa do céu mostrando as Plêiades, datado com 16.500 anos de idade, foi descoberto inscrito na parede de uma caverna em Lascaux, na França central.


Primeira Foto: As Plêiades, de Elihu Vedder (1885)
Projeção realizada no software: Starry Night

3 Comentários:

As Maravilhas do Céu Estrelado disse...

Asterismos – do grego “ Asterismós”. É a interligação de um grupo de estrelas que as pessoas costumam associar com um desenho simples imaginário. Estas estrelas que formam os asterismos podem fazer parte de uma única constelação oficial e também de parte de duas ou mais constelações. Os membros que compõem um asterismo não são atraídos entre si pela força da gravidade. Os principais asterismos e mais conhecidos são aqueles que interligam as principais estrelas de uma única constelação,chamados de "asterismos astronômicos" como por exemplo: asterismo da Constelação de Andromeda, de Virgem, de Áries e etc. Outros grandes asterismos conhecidos são: Big Dipper, The great Square of Pegasus, Keystone, Little Dipper, Summer Triangle, Diamond of Virgo, e etc.

Anônimo disse...

As plêiades são uma visão muito romântica. Acompanho essas estrelas desde minha adolescência quando as descobri, sozinho, observando o céu. Me encho de felicidade quando outubro chega e elas surgem no firmamento, tarde da noite. Que glória!

Anônimo disse...

Muito rica a explanação.

Postar um comentário

Olá! Fique a vontade para comentar!

 
As Maravilhas do Céu Estrelado © 2005 - todos os direitos reservados para o autor: Engº João Batista Salgado Loureiro | Template By Mundo B |